Abri meu consultório, e agora?

Dentista e empreendedor, Dr. Eduardo Picanço revela as estratégias que podem ser usadas para chegar ao sucesso profissional, com a abertura de uma clínica odontológica.

De acordo com dados do Conselho Federal de Odontologia, o Brasil possui 306.870 cirurgiões dentistas, o que coloca o país na primeira posição do ranking mundial de profissionais da área, ultrapassando inclusive os Estados Unidos. Tendo em vista o concorrido mercado, são necessárias algumas estratégias para se destacar e alcançar um resultado positivo na vida profissional. 

Atuante na área de gestão em odontologia, com ênfase em finanças e empreendedorismo, Eduardo Picanço, acredita que a receita para alcançar o sucesso com a abertura de um consultório é ser um grande gestor. “Se você é dentista, você tem que aprender ou desenvolver habilidade em gestão de negócios. Então, não dá para deixar na sorte de abrir um consultório e esperar se ele vai dar certo ou não. E decisões estratégicas, a parte de finanças, de marketing, de administrativo tem que ser muito bem compreendida para se montar um estabelecimento”, explica.

Segundo Picanço, para abrir um consultório o dentista tem que ter em mente o seguinte: que toda faculdade forma o dentista para desenvolver um ofício, uma profissão, e não ser dono de um negócio. Então, a faculdade de Odontologia forma pessoas para trabalharem como dentistas em algum lugar. Esse lugar pode ser um hospital, uma clínica de alguém ou o seu próprio consultório. Mas, caso resolva abrir seu próprio consultório, o dentista tem que entender de processos administrativos e reservar tempo para isso.

Na odontologia, assim como em outras áreas, alguns profissionais conseguem maior retorno financeiro enquanto outros são mais limitados. Eduardo Picanço explica que duas coisas são muito confundidas em relação ao retorno financeiro: “Os bons profissionais tecnicamente falando a gente sempre imagina que vão ser os melhores remunerados, os mais reconhecidos e não é bem assim. O que fideliza um paciente é o profissional que melhor atende o que mais gera empatia e aquele que mais tem preocupação com atendimento”, defende o especialista. Ainda de acordo com Picanço, o atendimento mais humanizado faz a diferença entre os profissionais de sucesso e aqueles que não saem do lugar.

Para Eduardo Picanço, o que os empresários dentro ou fora da odontologia fazem para que o negócio tenha sucesso é entender como funciona o negócio e desenvolver comportamentos empreendedores que são comuns a vários empreendedores de sucesso como: organização, autoconfiança, persistência, e outros comportamentos de sucesso que fazem realmente a diferença na condução de um negócio.

Empreendedorismo

Em 2017, no Brasil, a taxa total de empreendedorismo (TTE) foi de 36,4%, o que significa que de cada 100 brasileiros e brasileiras adultos (18 – 64 anos), 36 deles estavam conduzindo alguma atividade empreendedora, quer seja na criação ou aperfeiçoamento de um novo negócio, ou na manutenção de um negócio já estabelecido. Em números absolutos isso representa dizer que é de quase 50 milhões o contingente de brasileiros que já empreendem e/ou realizaram, em 2017, alguma ação visando a criação de um empreendimento em um futuro próximo. Os dados fazem parte do relatório executivo Global Entrepreneurship (GEM), realizado no Brasil pelo Sebrae em parceria com o IBQP.

Primeiros passos para quem pensa em abrir um consultório, segundo Eduardo Picanço:

– Os Dentistas devem buscar oportunidades e ter iniciativas, assim como qualquer empreendedor que almeja sucesso.

– Nada acontece de repente na primeira tentativa. Por isso, correr risco calculado não é correr risco como um franco-atirador, mas é traçar estratégias, identificar mercado, identificar que seu negócio tem potencial, que seu preço está competitivo e que usando estratégias ele começa a dar certo.

– É preciso fazer o melhor que puder ser feito, exigir qualidade e eficiência de si próprio e dos seus funcionários, assim como estar comprometido com o negócio, não achar que é só mais um consultório. É preciso ter a visão de ser o melhor consultório do mundo.

– Buscar informações sempre de como fazer novas técnicas e novos procedimentos.

-Ter metas claras é saber aonde quer chegar. Ter uma meta de faturamento, de número de consulta novas, de tratamentos mais lucrativos a serem realizados e ter uma rede contatos boa, porque essa rede de contatos vai trazer Network.

– Ser independente e ter autoconfiança. Mas, o principal: saber formar preço por que a grande maioria hoje tem seu negócio e não sabe como precificar e acaba seguindo tabelas de outras pessoas

Compartilhar:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Contato