CRIATIVIDADE & ODONTOLOGIA: HABILIDADES PARA O FUTURO

O mundo mudou e vai mudar cada vez mais. Há previsões que indicam que 70% dos empregos que conhecemos hoje não irão mais existir até o final da próxima década. A automação irá substituir o Homem nas mais diversas tarefas. Exceto naquelas onde há habilidades exclusivamente humanas (pelo menos por enquanto). O propósito desta matéria é despertar os colegas para essa realidade, assim como mostrar como nossa profissão é bastante afinada com essa nova realidade, e também para que aqueles que têm filhos possam estar antenados ao que já é necessário agora e será ainda mais no futuro. Esta matéria tem, ainda, a intenção de estimular que busquem mais sobre o assunto.

A ONU listou o que ela chama de “As 10 habilidades para o futuro”, mas que de fato já são fundamentais no presente:

  1. Flexibilidade cognitiva
  2. Negociação
  3. Orientação para servir
  4. Julgamento e tomada de decisões
  5. Inteligência emocional
  6. Coordenação com os outros
  7. Gestão de pessoas
  8. Criatividade
  9. Pensamento crítico
  10. Resolução de problemas complexos

Certamente você já consegue perceber várias – senão todas – habilidades do futuro presentes na Odontologia. Hoje quero falar sobre a Criatividade, que é um assunto que venho estudando já há mais de 5 anos, e é o tema do livro que escrevi e está em fase final de revisão, com lançamento previsto para o primeiro semestre de 2019, um passo importante em uma nova fase profissional que estou construindo.

Afinal o que é Criatividade?

Vou começar com O QUE NÃO É. Criatividade não é algo vindo do além, não é exclusiva de poucos, não é voltada exclusivamente para a arte, não é um dom, não é coisa de maluco, não é tudo-ou-nada.

Criatividade pode ser desbloqueada e desenvolvida, em qualquer pessoa, em qualquer idade, para quaisquer fins (artísticos ou não), e pode se apresentar em diferentes níveis nas diferentes pessoas ou até mesmo em uma mesma pessoa em situações diferentes. O objetivo do meu livro é desenvolver a criatividade que não dependa de inspiração, através de um protocolo passo-a-passo que, com o tempo, estará incorporado na forma de pensar do indivíduo que decidir implementá-lo.

Agora vamos compreender melhor O QUE É Criatividade. É a capacidade de gerar ideias a partir de conhecimentos diversos, nem sempre aparentemente relacionados. É a habilidade de gerar diversas opções de soluções para o mesmo problema. É conseguir compreender uma situação em suas diversas nuances e adequar a resposta de acordo com as circunstâncias atuais. Utiliza circuitos neurais que integram áreas de conhecimentos diversos, tanto a nível consciente quanto subconsciente. Depende de tempo e atenção, para potencializar a percepção. É um processo que ocorre em várias etapas, de maneira estratificada, porém não-linear, pois envolve a avaliação da situação de forma complexa, envolvendo os elementos, as relações entre eles, o propósito da situação, as circunstâncias e também os antagonismos presentes. A partir dessa complexidade de etapas, seguem-se linhas de raciocínio que levarão a ideias complementares entre si.

Vamos à odonto: Se pegarmos um caso clínico inicial e apresentarmos para 10 colegas, há grande chance de termos 10 planos de tratamentos diferentes, apesar de todos resolverem o caso. Isso mostra o quanto nossa profissão é criativa. Diferente do que fomos treinados na escola: a classificar os problemas similares para oferecermos uma única solução para todos eles. Não haverá mais espaço para este tipo de profissional no mercado lá fora. O tempo hoje é de múltiplas soluções para um mesmo problema. O cirurgião-dentista tem vantagens nesse sentido.

Então, Criatividade é um complexo processo estratificado, não-linear, consciente e inconsciente, baseado em propósitos, de percepção e integração de conhecimentos objetivando a geração de soluções, estratégias e inovações, através de linhas de raciocínio complementares.

A Criatividade é baseada no que eu chamo, em meu livro, de “Tripé da Criatividade”:

  1. Percepção.
  2. Integração de Conhecimentos.
  3. Pensamento Complexo.

Percepção é possível de ser trabalhada e depende de uma série de fatores como: tempo, conhecimentos prévios, preconceitos, disposição e autocontrole. Os circuitos neurais que participam da percepção podem ser trabalhados através de diversas técnicas, como exercícios de desenho não-artístico. Na odontologia, trabalhamos diariamente a percepção através do foco continuado nas estruturas bucais diminutas em busca de alterações iniciais, e durante palpações das ATMs e dos músculos, por exemplo.

Integração de Conhecimentos ocorre tanto de maneira consciente, baseado na memória e no raciocínio, quanto inconsciente, ocorrendo quando a mente está descansada, por vezes até dormindo, resultando no famoso “Efeito Eureca!”. Por isso é importante se desligar dos estímulos excessivos do dia-a-dia, como TV ligada o tempo inteiro, fazer tudo com música nos ouvidos, estar hiperconectado etc. Tudo isso atrapalha a Criatividade por prejudicar a fase da Integração de Conhecimentos. Na odontologia, esta fase de dá quando cruzamos conhecimentos de diversas especialidades em busca da formulação de um plano de tratamento. Por isso eu estimulo sempre que o cirurgião-dentista participe de cursos fora de sua área de especialidade: para ficar mais criativo na construção de seus planos de tratamento.

Pensamento Complexo é a forma de análise mais adequada ao desenvolvimento da Criatividade, por avaliar o contexto considerando o propósito, os elementos, as relações entre eles, e os antagonismos complementares. O propósito é o objetivo, a razão, a intenção, é o que se quer de fato. Muitas vezes, por falta de clareza no propósito, não se chega a soluções adequadas. Os elementos são o ponto de menor impacto em um sistema complexo. E é onde geralmente as pessoas que não compreendem o Pensamento Complexo erroneamente atuam. Não adianta intervir nos elementos se as relações e ou o propósito estão errados ou não compreendidos. As intervenções eficazes mais frequentes são realizadas nas relações entre os elementos em direção ao propósito. Essas relações podem ser regras, leis, normas, orientações, papéis profissionais, integração entre setores de uma fábrica, posição física de departamentos em uma empresa etc.

E pra completar, temos o Antagonismo Complementar, onde deve-se sempre ser levado em consideração as forças contrárias ao que se está objetivando. Os orientais sabiamente já incorporaram isso à sua filosofia há milênios, através do Yin-Yang. A decisão da hora de agir ou de não agir é uma das aplicações práticas desse conceito, pois leva em conta as vantagens em não agir também. Tudo a ver com nossa odontologia, ao decidirmos os momentos das intervenções. Um “porque sim este” sempre está atrelado a vários “porque não aquele”.

Na Odontologia, trabalhamos o Tripé da Criatividade cotidianamente. Ao tratarmos um dente, por exemplo, estamos atuando em um elemento, levando em consideração as relações deste com todo o sistema estomatognático e visando um propósito maior, que é a saúde/estética do paciente. Parênteses: Por isso eu, particularmente, não curto muito o termo “dentista” para nossa profissão. Merecia um termo menos simplório. Fecha parênteses.

Há exercícios para desenvolver a habilidade da Criatividade, e no meu livro disponibilizarei os que considero mais eficazes dentro de suas simplicidades.

Sobre a fase final da geração de ideias, desenvolvi uma série de 46 pares de linhas de raciocínio, que chamo de Sight Rails (SR), por serem em duplas, como um trilho, e por conduzirem a insights diversos, orientados, otimizando a energia que pode estar desperdiçada em um brainstorming tradicional aberto. A seguir, apresento a lista dos 46 pares, que estão explicados no livro, assim como a metodologia para sua utilização através da gamificação.

ABORDAGENS INICIAIS

  • Múltiplas Abrangências, ou Múltiplas Funções
  • Ação preventiva, ou Estrutura de proteção
  • Organização estrutural prévia, ou Organização administrativa prévia
  • Crie Identidade, ou Remova Identidade
  • Crie uma embalagem, ou elimine a embalagem
  • Assimetria, ou Simetria (Relações)
  • Função Compensatória, ou Função Sobressalente
  • União, ou Paralelismo
  • Ajustabilidade do sistema, ou Flexibilidade de estrutura/movimento
  • Reciclagem, ou dê função positiva à adversidade
  • Self-service, ou Auto-suficiência
  • Autodestruição, ou auto-reparo
  • Feedback automático ou Feedback Provocado
  • Mais Separação, ou Separação mais fácil
  • Aleatoriedade, ou Não-linearidade

FUNCIONALIDADES

  • Mediadores, ou Intermediários Mediadores
  • Especialização setorial, ou Diferenciação de Condições
  • Características transitórias, ou Características de interfases
  • Antagonismo ou Inversão

ORGANIZAÇÃO/ESTRUTURA

  • Segregação, ou Priorização
  • Conformação dimensional (2D / 3D), ou Estrutura Organizacional e de Comunicação (2D / 3D)
  • Ambiente positivo, ou Ambiente Ionizante
  • Ambiente neutro, ou Intervalo
  • Nivelamento, ou Alívio
  • Camada / Separação Delgada, ou Camada / Separação Flexível
  • Tornar Fluido ou Difuso, ou Usar Fluido ou Gás
  • Inclusão, ou Trespasse
  • Curvas, ou Esfericidade
  • Poros, ou Canais

COMPOSIÇÃO / APRESENTAÇÃO

  • Matéria vs Onda, ou Mecânico vs Sensorial
  • Estado físico da matéria, ou Parâmetros
  • Coincidência de composição, ou Coincidência de interação material
  • Materiais modernos, ou Compostos
  • Descartáveis, ou Temporários
  • Cor, ou Luz

FREQUENCIA/INTENSIDADE

  • Um pouco mais, ou um pouco menos
  • Continuísmo, ou antiociosidade
  • Frequência de Ação, ou Amplitude
  • Velocidade, ou Saltos
  • Vibração, ou Alternância

ESTRATÉGIAS

  • Cópias reais, ou Cópias virtuais
  • Crie Restrições, ou Amplie a Liberdade.
  • Minimizar a Fragilidade, ou Aumentar a Antifragilidade
  • Alavancagem Compensatória, ou Alavancagem Complementar
  • Reações Setorizadas Compensatórias, ou Reações Setorizadas Concorrentes
  • Obviedade, ou Incoerência

Portanto, a Criatividade, e talvez todas as 10 Habilidades do Futuro, estão presente na Odontologia. Hoje quis falar um pouco sobre Criatividade, porque, como falei no início, é a área que estou estudando e atuando já há mais de 5 anos. Procurem novas fontes, livros, cursos, vídeos, blogs que falem no assunto. Não apenas Criatividade, mas todas as outras habilidades também. Aproveite que você já parte de um patamar mais avançado por ser dentista e atuar todos os dias com essas habilidades. Quero agradecer e parabenizar a você que chegou ao final deste texto. Espero ter ajudado em algo.

Sobre o Prof.Sílvio Ramos

Professor de Design Orofacial

Ortodontista

Mestrando em ortodontia

Pós graduado em implantodontia

Acupunturista

Professor convidado em pós graduações N/NE

Instagram: @drsilvioramos

Compartilhar:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Contato