Estudantes de Odontologia da UFPE temem atraso em aulas práticas

Alunos do curso de Odontologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) estão aflitos com a volta às aulas do semestre 2020.1, marcada para esta segunda-feira (25). O motivo é a incerteza quanto ao retorno das atividades práticas em clínicas, essencial para a conclusão do curso, pela falta de condições adequadas de biossegurança. O fato foi comunicado, segundo estudantes, informalmente, na última sexta (22), último dia útil antes do retorno das aulas.

Durante as aulas realizadas em 2020, houve adiantamento do conteúdo teórico, mas muitos estudantes dependem das atividades práticas para concluir o curso. Para a estudante Maria Eduarda, aluna do 9º período, a falta de transparência para com os alunos é o principal problema. “Não estava existindo transparência. A sensação foi de muita falta de empatia de parte dos departamentos, simplesmente avisar faltando menos de um dia útil que não voltaria. Se não tinha as condições adequadas, e se sabiam que não tinha as condições adequadas, por que não foi avisado antes?”, questiona.

Muitos estudantes temem prejuízos, não só no atraso para a conclusão do curso. Compra de materiais, contratos de aluguel e gastos com deslocamento, já que pessoas de outras cidades e estados fazem o curso da UFPE, também estão na lista. Além dos alunos, pacientes das clínicas também podem ser prejudicados, já que não vão poder ser atendidos pelos estudantes.

“Eu recebi inúmeras mensagens de pacientes precisando voltar aos atendimentos. Pacientes que não tinham conseguido concluir o tratamento por causa da pandemia, e que tinham visto que as aulas iam voltar agora dia 25, e, no dia 25 mandam mensagem. Recebi mensagem no domingo perguntando se já poderiam ir à federal, se teria atendimento. Não é um problema de uma turma de Odontologia, é um problema para a sociedade. É um problema para a população, que deixa de ser atendida”, conta Maria Eduarda.

Reunião

Por meio de nota, a UFPE informou que, “de acordo com a Resolução 23/2020, que rege o ano letivo 2020/2021, cabe ao colegiado de cada curso e aos Conselhos dos Centros decidirem sobre a oferta de disciplinas práticas no formato presencial”. Em uma reunião da Reitoria da Universidade com representantes dos estudantes de Odontologia e professores, com a presença da coordenação do curso e Direção do Centro de Ciências da Saúde (CCS), realizada nesta segunda (25), a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) explicou que não recebeu nenhum comunicado formal do curso de que as disciplinas serão canceladas.

No texto, a UFPE também afirmou que “os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adquiridos pela UFPE são prioritariamente destinados aos cursos da área de saúde e sugeriu rodízio de alunos nos dias de aulas práticas”. Por fim, a gestão sugeriu a “criação de uma comissão para acompanhar a implementação das mudanças necessárias para garantir as condições de biossegurança, com benefícios permanentes para o curso, e assim viabilizar a oferta gradual dessas disciplinas práticas de Odontologia, sem prejudicar a formação dos estudantes”. Também foi sugerido que o curso avalie a possibilidade de quebra momentânea da obrigatoriedade dessas disciplinas para que os alunos possam cursar outros componentes do currículo.

Fonte: https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/vidaurbana/2021/01/em-dia-de-volta-as-aulas-estudantes-de-odontologia-da-ufpe-temem-atra.html

Compartilhar:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Contato