Ministério da Saúde busca apoio do Sistema CFO/CROs para ampliação da profilaxia ao HIV na Atenção Primária em Saúde

A convite do Ministério da Saúde, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) participou nessa quinta-feira, 9 de setembro, de reunião com Diretor do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis, Gerson Fernando Mendes Pereira. A pasta busca, com o apoio do Sistema CFO/CROs, reduzir o contágio do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) por meio da Prevenção Combinada que inclui a ampliação da Profilaxia Pós-Exposição ao HIV (PEP) e da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) à parcela da população que é mais vulnerável, frente ao HIV ou que apresenta prevalência superior à média nacional.

A expectativa é definir protocolos e métodos de capacitação aos Cirurgiões-Dentistas que atuam no Sistema único de Saúde (SUS) para incorporação da prescrição da PEP e da PrEP na Atenção Primária em Saúde (APS) por estes profissionais. Para o Diretor Gerson Fernando Mendes Pereira, o envolvimento dos profissionais de Odontologia pode ser decisivo para enfrentamento dos desafios no aumento desse serviço à população.

Gerson Fernando Mendes Pereira (Diretor do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis)

Segundo o Diretor do Departamento, a atuação do Cirurgião-Dentista nessa área é capaz de promover: o aumento da resolutividade do serviço; a integralidade do cuidado, da testagem a conduta; a descentralização da oferta da profilaxia nos serviços especializados; a ampliação da autonomia profissional (evitando encaminhamentos desnecessários), entre benefícios. Nesse contexto, Gerson Fernando Mendes Pereira destacou as implicações esperadas dessa ação na Odontologia, a exemplo de trazer o Cirurgião-Dentista para a discussão sobre o papel na prevenção combinada do HIV/aids na APS e de incluir o tema na formação dos discentes em Odontologia.

A Vice-Presidente do CFO, Tessa de Lucena Botelho, evidenciou que a intenção prioritária é válida, importante e fundamental à população. “A proposta do trabalho conjunto soma às ações de valorização da Odontologia desenvolvidas pela atual gestão do CFO. A atuação do Cirurgião-Dentista como parte da equipe multidisciplinar é essencial nas ações de prevenção do HIV e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) na Atenção Primária em Saúde. Por oportuno, é importante pensar que essa estratégia potencializa o papel do Cirurgião-Dentista como agente de saúde integral. Melhora da saúde é ganho para a população”, afirmou.

Tessa de Lucena Botelho (Vice-Presidente do CFO)

No Brasil, de 1980 a junho de 2020, foram identificados 1.011.617 casos de aids e, no período de 2007 e 2020, 342.459 casos de HIV. A cada ano, o país tem registrado uma média de 40 mil novos casos de aids e as análises dos casos de aids e as análises dos dados epidemiológicos mostram a concentração desses casos em alguns seguimentos populacionais mais vulneráveis frente ao HIV/aids e, portanto, são considerados como populações prioritárias: jovens, pessoas negras, população indígena e população em situação de rua.

Por Michelle Calazans, Ascom CFO.
[email protected]

FONTE: CFO

Compartilhar:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Contato