Música na Odontologia

A história do doutor em Reabilitação Oral que é um verdadeiro apaixonado pela música.

Professor Associado do Departamento de Odontologia Restauradora da UFC – Universidade Federal do Ceará, Mestre e Doutor em Reabilitação Oral, com Pós-graduação em Periodontia e Implantodontia, Antônio Materson da Silva tem um talento, que vai além da habilidade e conhecimentos na área da saúde e educação: a paixão pela música. E esse sentimento começou bem cedo, como ele mesmo conta. “Aos 5 anos de idade me apresentei pela primeira vez em um palco, na igreja de Santa Terezinha, em Fortaleza, cantando Waldick Soriano.

Em São Paulo, em 1998, fizemos um show beneficente no palco da Faculdade de Odontologia de Bauru-SP. O show foi em prol de uma funcionária da faculdade cuja casa havia pegado fogo. Foi uma grande repercussão e saiu inclusive no jornal SP TV. Então, minha vida toda foi marcada pela música”, descreveu Dr. Materson.

Em 2017, o professor e músico participou de uma apresentação em homenagem aos 100 anos do samba, no Aterro da Praia de Iracema, junto com Aparecida Silvino, grande nome da música nacional. Outro momento especial desse ano, na vida do doutor apaixonado pela música foi no palco do Teatro Jose de Alencar, no dia 30 de novembro. “50 anos após minha primeira apresentação, cantei alguns sambas clássicos, no palco do José de Alencar, no último mês de novembro”, contou.

A habilidade é destaque quando o assunto é instrumento de corda, pois Dr. Materson toca violão e guitarra. Mas, quem disse que termina por aí? Ele também domina os instrumentos percussão e já começou a estudar outros. “No momento estou tentando aprender gaita e tenho aulas de canto semanalmente”, explicou o músico.

Atualmente, Dr. Materson canta toda semana, com o grupo Tô Xegando, que tem uma “pegada” samba de raiz. Segundo ele, que afirma ter um gosto bem eclético e já ter participado como cantor de bandas de rock e de forró pé-de-serra, em 2015 teve seu encontro definitivo com o samba. De lá pra cá vêm se dedicando ao ritmo, inspirado em artistas como Diogo Nogueira, Jorge Aragão, Cartola e outros clássicos.

Quando a música deixou de ser hobby

Dr. Materson começou sua atuação profissional na Odontologia muito cedo, aos 20 anos de idade, ensinando na Faculdade de Odontologia e atendendo em clínica. Nesse período, a música foi um hobby. Mas, o tempo passou e o que era diversão ganhou um caráter mais sério, com dedicação aso estudos de Teoria Musical e Canto. “E se Deus me permitir, cantar e tocar com mais frequência e mais profissionalmente, vou continuar”, confessa o apaixonado pela música. Quem ganha com isso são os amigos, que em toda reunião com o colega músico podem prestigiá-lo cantando e tocando. “Canto e toco violão também nas missas da Igreja de São Vicente, na Aldeota. A música aproxima muito as pessoas e isso tem acontecido durante toda minha vida”, afirma.

Compartilhar:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Contato